Requerimento de Gilmar Santos, aprovado na Câmara de Petrolina pede informações sobre projeto de pavimentação da PE-630

Há cerca de 40 anos a população do sertão pernambucano pleiteia a pavimentação da rodovia que interliga importantes cidades da região

Rodovia PE-630/Reprodução

O Vereador Gilmar Santos-PT, solicitou ao governador Paulo Câmara-PSB, informações sobre o projeto de pavimentação da rodovia PE-630, que liga Petrolina a outros municípios. A matéria foi aprovada pelos vereadores da Câmara de Petrolina na sessão plenária desta semana, realizada na terça-feira (8).

A via liga a BR-407, no distrito de Rajada, ao entroncamento com a BR-316, em Trindade, no sertão do Araripe. O trecho de 148km ainda passa por Dormentes, Afrânio, Santa Filomena e Ouricuri.

Gilmar Santos frisou que “diversas produções são escoadas para diversas regiões do país e sem essa via, esses municípios têm muita dificuldade, seja na questão da economia, seja em relação ao acesso à saúde e educação” (confira no vídeo).

No requerimento (nº 300/21), Gilmar Santos destacou ainda que já foram realizadas oito audiências públicas que discutiram o tema. E lembrou que em agosto de 2019, durante uma atividade do governo de Pernambuco em Petrolina, o governador Paulo Câmara (PSB) assinou a autorização para elaboração do projeto executivo de implantação da Rodovia.


Deputado Gonzaga Patriota agride fisicamente o Vereador Gilmar Santos

Na manhã deste domingo(07/04), no distrito de Rajada, interior da cidade de Petrolina, o Deputado Federal Gonzaga Patriota (PSB) agrediu fisicamente o Vereador Gilmar Santos (PT). A violência, que já foi registrada na Delegacia de Polícia Civil, conforme Boletim de Ocorrência nº 18E2149001996, ocorreu por meio de um soco desferido pelo parlamentar federal no rosto do Vereador, atingindo a boca.

Os dois se encontraram por ocasião da realização da 5ª Audiência Pública sobre a PE 630, na Escola José Cícero Amorim. Ainda na calçada, quando o Vereador Gilmar Santos passava pelo portão, o Deputado Gonzaga Patriota acenou para o vereador quando esse se esquivou, afirmando não cumprimentar golpista, tendo em vista que o deputado se tratava de um dos principais inimigos dos trabalhadores e apoiador do golpe que colocou Michel Temer na Presidência da República.

Neste momento, ao insistir a comunicação com o vereador, Gilmar reafirmou o posicionamento, o que levou o deputado a perder a razão e agir de forma agressiva,  desferindo covardemente um soco no rosto do vereador, presenciado por diversos assessores e populares.  Logo em seguida, o Deputado correu para dentro de seu veículo, protegido por seus seguranças, onde permaneceu, aparentemente, fazendo gestos de ameaças.

Foto: Wesley Lopes

Ao Ponto Crítico o vereador Gilmar Santos afirmou que “o deputado Gonzaga Patriota dá provas concretas de que não respeita a democracia. Deu provas do seu despreparo para representar o povo. O seu desequilíbrio reflete o quando não aceita ser criticado, pois está acostumado que as pessoas baixem a cabeça para sua péssima atuação sem ser  questionado. É golpista, e agora usa da violência para reprimir quem o critica. De golpista, virou  um criminoso. Não vamos nos calar e tomaremos as devidas providências”.

Gonzaga Patriota é conhecido por ter feito da política profissão e carreira, tendo sete mandatos apenas de Deputado Federal (vinte e oito anos de mandatos)[1]. Mais recentemente ganhou visibilidade nacional com matéria veiculada pelo Fantástico (https://www.youtube.com/watch?v=abCxf1qF34g), em que o Deputado havia requerido reembolso do valor de R$ 1.493,00 pela compra de carne de Bode durante seu recesso.  Outro caso, se refere à campanha “Fora coronéis da mídia”, de 2014, que denunciou pelo Brasil os políticos que detém meios de comunicação, o que fere os preceitos constitucionais que regulam o tema (http://ombudspe.org.br/coronel-da-midia-gonzaga-patriota-vota-pelo-impeachment-mas-continua-ferindo-a-constituicao/).

Foto: Reprodução

O fato ocorreu um dia após a prisão do ex-presidente Lula.  O golpe que retirou a presidenta Dilma em 2016 contou com o voto de Gonzaga. O governo Michel Temer, que assumiu, tem atacado diversas conquistas e direitos da classe trabalhadora. O ambiente político e social após o golpe contribui diretamente para a prisão injusta de Lula.

 

[1] http://www2.camara.leg.br/deputados/pesquisa/layouts_deputados_biografia?pk=74419

http://pontocritico.org