Saúde: Vereador Gilmar Santos questiona Acordos de cooperação feitos pela Prefeitura de Petrolina

“Queremos saber quanto essas clínicas e hospitais devem ao município de Petrolina e de que forma, esse valor devido, está sendo revertido em prestação de serviços”, indagou o parlamentar

Através de um requerimento (nº 648/2021), aprovado na sessão plenária desta terça-feira (23), o Vereador Gilmar Santos voltou a questionar a Secretaria Municipal de Saúde (SeSau) e Secretaria Municipal da Fazenda e Planejamento (SeFaz) sobre os Acordos de Cooperação Técnica firmados entre o município e prestadores de serviços médicos hospitalares.

“Queremos saber quanto essas clínicas e hospitais devem ao município de Petrolina e de que forma, esse valor devido, está sendo revertido em prestação de serviços, e quais são esses serviços efetivamente”, pontuou o Vereador ao defender a aprovação do requerimento.

No requerimento, Gilmar Santos questionou sobre o total de atendimentos realizados, entre 2017 e 2021, através de Acordos de Cooperação Técnica, os serviços clínicos e hospitalares previstos nestes acordos e a lista de hospitais que estão vinculados com a Secretaria Municipal de Saúde através desses instrumentos. Além disso, o parlamentar também solicitou informações sobre o valor total abatido das dívidas das clínicas que firmaram acordos com o município nos últimos quatro anos.

Essa não é a primeira vez que a SeSau recebe uma solicitação sobre o assunto, e o vereador fez questão de enfatizar. “Nós já fizemos esta solicitação diversas vezes à Secretária de Saúde, Magnildes Albuquerque. Ela se comprometeu em nos fornecer estas informações, mas até o momento esses dados não foram apresentados”, afirmou Gilmar Santos (confira no vídeo).


Através de Requerimento, Gilmar Santos questiona Secretária de Saúde Petrolina sobre quantitativo de equipes de saúde em UBS

Outro questionamento foi sobre a recorrência dos casos de suspensão dos serviços de marcação de exames e consultas em várias unidades

Visita à UBS Dr. João Moreira/Assessoria

Após visitar diversas Unidades Básicas de Saúde, na sede e do interior de Petrolina, nesta quinta-feira (30), o Vereador Gilmar Santos apresentou, na Câmara Municipal, um requerimento com questionamentos à Secretaria de Saúde, sobre o baixo número de equipes disponíveis nas UBSs e a qualidade dos serviços prestados à população.

Gilmar perguntou à equipe da secretaria se há previsão para designação de novos profissionais médicos e equipes de saúde para as unidades que contam apenas com uma equipe.

Outro questionamento foi sobre a suspensão dos serviços de marcação de exames e consultas. De acordo com informações repassadas por populares e confirmadas por funcionários da prefeitura, quando o profissional responsável entra em período de férias, licença médica, ou se ausenta da função, a secretaria não designa outra pessoa para cumprir a função. É o caso da AME Manoel Possídio, no bairro Areia Branca.

“É absolutamente compreensível que esses funcionários se afastem, por motivos justificáveis, de suas atribuições e gozem de seus direitos. Contudo, a prestação do serviço de saúde não pode ser prejudicada, muito menos a população”, ponderou Gilmar Santos ao defender que os direitos dos profissionais de saúde devem ser garantidos. E pontuou que é de fundamental importância que, “em qualquer circunstância, seja garantida a continuidade adequada dos serviços de saúde, é fundamental que a gestão municipal atue para garantir ambos”.

O parlamentar lamentou ainda o fato de receber muitas reclamações a respeito dos serviços de saúde prestados pelo município. “Infelizmente, no último período, temos verificado uma grande quantidade de problemas que vêm sendo enfrentados, de maneira recorrente, pela população que depende do serviço de saúde da rede pública municipal” (confira no vídeo).

Gilmar Santos solicita informações sobre contratos entre clínica privada e Prefeitura de Petrolina, mas vereadores governistas derrubam requerimento

De acordo com informações do Tribunal de Contas de Pernambuco, a Clinap concentrou uma maior quantidade de recursos provenientes do erário municipal, em relação a outras empresas que desempenham a mesma função, mesmo no período de pandemia

Um pedido de informações apresentado pelo Vereador Gilmar Santos-PT, sobre os valores e os serviços prestados pela Clínica de Atendimento Popular (Clinap), através do contrato com a Prefeitura de Petrolina, movimentou o debate e dividiu opiniões na sessão plenária desta terça-feira (28), na Casa Plínio Amorim. A proposição foi apresentada visando compreender a relação da gestão municipal com a clínica.

De acordo com informações, disponíveis no portal do Tribunal de Contas de Pernambuco, a Clinap concentrou uma maior quantidade de recursos provenientes do erário municipal, em relação a outras empresas que desempenham a mesma função, mesmo no período de pandemia.

Direcionada à Secretaria Municipal de Saúde, a solicitação traz uma série de questionamentos (confira a lista):

  • Quando se deu o início da relação da Prefeitura de Petrolina com a Clínica CLINAP?
  • Até o mês de setembro de 2021, qual foi o valor total repassado da Prefeitura de Petrolina para a Clínica CLINAP?
  • Quais são os serviços prestados pela referida clínica?
  • Qual o número de exames realizados pela clínica em pacientes oriundos da rede municipal de saúde?
  • Que sejam apresentadas cópias dos contratos firmados entre a Prefeitura de Petrolina e a CLINAP;

“Uma das principais preocupações do nosso mandato e que também é uma das grandes demandas da nossa população, é a saúde. Que em Petrolina, ainda enfrenta uma série de problemas, fazendo com que a maior parte da nossa população não consiga acessar uma Rede de Saúde Pública Municipal de maneira eficaz e com a celeridade necessária”, pontuou o Vereador.

Mesmo sendo um requerimento (nº 523/21) simples, a proposição foi derrubada por 11 votos. Os vereadores Capitão Alencar, Alex de Jesus, Ruy Wanderley e Gaturiano Cigano, todos da bancada de situação, optaram pela abstenção. Além do autor da proposição, votaram a favor a vereadora Samara da Visão e Marquinhos do N4.

“Compreendemos que administrar a saúde de um município do porte de Petrolina está longe de ser uma tarefa fácil, porém, entendemos que é essencial que nesse processo as informações sejam tratadas sempre de maneira muito transparente”, concluiu.

Situação de abandono do antigo prédio da UBS do bairro Jardim São Paulo é motivo de denuncia na Câmara de Petrolina

“É fundamental que a gestão municipal, providencie a limpeza do local e faça, de maneira democrática, uma escuta à comunidade, para que seja definida qual destinação deverá ser dada ao prédio, tendo em vista as necessidades do bairro”, defendeu o Vereador Gilmar Santos

Desde que a comunidade do bairro Jardim São Paulo passou a ser atendida na nova unidade de saúde, o prédio da antiga UBS entrou no esquecimento da gestão municipal. Depredado, tomado de lixo e em situação de total abandono, a estrutura está sendo destruída pelo tempo e por ações de vandalismo.

Na tentativa de reverter a situação, o Vereador Gilmar Santos-PT, apresentou um requerimento nº 430/2021, na sessão plenária da Câmara Municipal nesta terça-feira (31). Destinado à Secretaria de Saúde, a solicitação foi baseada em uma série de reclamações da comunidade do bairro.

No documento, aprovado pela maioria dos parlamentares, o Vereador Gilmar Santos, enfatiza que é fundamental que a gestão municipal, providencie a limpeza do local e faça, de maneira democrática, uma escuta à comunidade, para que seja definida qual destinação deverá ser dada ao prédio, tendo em vista as necessidades do bairro (confira no vídeo).

Gilmar Santos apresenta proposta para melhorar acesso à vacina contra a Covid-19 em Petrolina

Uma das sugestões é sobre a criação de pontos de cadastramento nas Unidades básicas de Saúde, nos CRAS, em Escolas ou no Centro de Convenções

Gilmar Santos defende adoção de novas medidas para imunização em Petrolina/Danilo Souza

Com o objetivo de contribuir para o avanço da vacinação contra a Covid-19, em Petrolina-PE, o Vereador Gilmar Santos-PT, apresentou na manhã desta terça-feira (3), durante a sessão plenária da Casa Plínio Amorim, um requerimento (nº 395) com novas sugestões para a Secretaria Municipal de Saúde.

A primeira é para a criação de pontos de cadastramento nas Unidades básicas de Saúde, nos CRAS, em Escolas ou no Centro de Convenções para a população mais vulnerável, ou seja, quem não possui acesso à internet ou que tenha dificuldades na utilização de equipamentos eletrônicos.

Já a segunda versa sobre a imunização através dos grupos prioritários. Gilmar sugere que, a cada avanço na faixa etária, as pessoas que não conseguiram imunizantes sejam dispensadas do agendamento, e precisem apenas comparecer aos pontos de vacinação com documento de identidade, cartão SUS e comprovante de residência.

“Estamos acompanhando uma série de críticas contra o sistema da prefeitura. Compreendemos que existem grandes dificuldades em relação ao recebimento das doses dos imunizantes disponibilizados, o que prejudica grandemente o andamento do programa de imunização. Porém, mesmo com essas dificuldades, temos visto um avanço significativo nas faixas etárias que podem receber o imunizante”, pontuou (confira no vídeo).

Para Gilmar, a vacinação dos grupos etários é importante, entretanto, segundo ele, em Petrolina, a baixa quantidade de imunizantes não tem sido condizente com a frequência e com os quantitativos recebidos dos imunizantes e isso tem gerado muitas críticas da população como um todo.

O problema do agendamento é ainda mais grave para a parcela da população mais vulnerável que não tem acesso a equipamentos eletrônicos e/ou internet. E essa parcela da população que mais têm apresentado críticas.

No município a idade mínima está na casa dos 30 anos, porém é comum encontrar relatos de pessoas que integram os grupos das demais idades mas que não conseguem realizar o agendamento.

Quanto ao novo sistema de agendamento para a vacinação contra a Covid-19, anunciado pelo Prefeito, e lançado na manhã desta quarta-feira (4), Gilmar Santos solicitou que a equipe de saúde garanta esforços para que o processo de vacinação seja retomado sem falhas e com celeridade.

Vereador Gilmar Santos solicita que SEDURBH compareça à câmara para dar explicações sobre a política de habitação de Petrolina

O pedido é para que a pauta seja discutida na Casa Plínio Amorim o mais breve possível

Diante de “pouquíssimas respostas apresentadas pela prefeitura de Petrolina”, o Vereador Gilmar Santos resolveu apresentar um requerimento para que representantes da Secretaria Habitação e Desenvolvimento Urbano compareçam à Câmara para apresentar uma série de informações sobre as atividades executadas pela gestão municipal.

O pedido, que ainda inclui atualizações sobre os recursos do Fundo Municipal de Habitação e a atualização sobre novas entregas de unidades habitacionais, foi feito na manhã desta terça-feira (29), durante a 22ª plenária da Casa Plínio Amorim. O requerimento foi aprovado por 19 votos.

De acordo com Gilmar, “centenas de famílias vivem hoje em situação de grande vulnerabilidade, muitas em locais que oferecem pouca ou nenhuma condição digna de moradia, incluindo crianças, idosos e pessoas com deficiências”. Ele ainda pede a atenção da gestão municipal para que a pauta seja discutida na Casa Plínio Amorim “o mais breve possível”.

Vereador Gilmar Santos questiona Compesa sobre arrecadação e investimentos em Petrolina

O requerimento dispõe sobre os valores arrecadados através da prestação de serviços, os recursos recebidos por outras fontes e o detalhamento dos investimentos, além das áreas, a exemplo de bairros e loteamentos, que são de competência da companhia

Compesa Petrolina/Reprodução

Em busca de informações sobre arrecadações, investimentos, serviços e áreas de atuação da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) em Petrolina-PE, o Vereador Gilmar Santos (PT), apresentou um requerimento (343/21), na manhã desta terça-feira (22), para que o gerente regional da companhia, Marcelo Guimarães, envie respostas à Câmara Municipal. A matéria foi aprovada por 17 votos.

O requerimento dispõe sobre os valores arrecadados através da prestação de serviços, os recursos recebidos por outras fontes e o detalhamento dos investimentos, além das áreas, a exemplo de bairros e loteamentos, que são de competência da companhia.

De acordo com Gilmar Santos, o conflito entre a Compesa e a gestão municipal acarreta uma série de problemas para a população. “Existe uma queda de braço interminável e que gera muitas dúvidas sobre até onde vai a obrigação da empresa e onde inicia a responsabilidade da Prefeitura em relação a prestação de serviços básicos e essenciais”, afirmou.

Os serviços prestados por ambas instituições são motivo de constantes questionamentos, seja na qualidade do trabalho prestado, na cobrança de tarifas e impostos, ou no atendimento de reivindicações da população.

“Estamos apresentamos esse requerimento para que possamos entender melhor como está se dando a prestação dos serviços de água e esgotamento sanitário em Petrolina, a fim de que a Compesa, responsável por parte significativa dessa prestação ao município possa apresentar informações muito relevantes para a população em geral”, concluiu.

Requerimento de Vereador Gilmar Santos sobre transparência na compra e distribuição de máscaras é reprovado por vereadores governistas

A solicitação era sobre o quantitativo, datas de compra e entrega, especificações sobre lotes adquiridos e valores praticados pela gestão municipal na aquisição de máscaras de proteção contra a Covid-19

Reprovação de requerimento nº 328/21. Foto: Danilo Souza Santos/Assessoria

“Quando a gente tem compromisso com o interesse público, a gente quer explicações sobre o dinheiro da nossa população”, foi assim que o Vereador Gilmar Santos (PT), defendeu a aprovação do requerimento 328/21, apreciado nesta terça-feira (15), durante a 20º sessão plenária da Câmara de Petrolina-PE. Entretanto, a matéria foi reprovada por 13 votos, todos de vereadores ligados à gestão Miguel Coelho (MDB).

A proposição surgiu a partir de uma reclamação de profissionais de saúde, que relataram que as máscaras de proteção distribuídas para as unidades de saúde são de “péssima qualidade”.

Em suma, o requerimento de Gilmar pedia informações sobre a aquisição de máscaras no sentido de compreender o quantitativo, datas de compra e entrega, especificações sobre lotes adquiridos e valores praticados pela gestão municipal. 

Além disso, a matéria ainda incluía um questionamento sobre a realização de testes contra Covid-19. É que segundo informações repassadas por profissionais de saúde, as testagens, que antes eram realizadas em locais específicos, passaram a ser feitas em algumas unidades básicas de saúde.

O problema é que a mudança não agradou profissionais da saúde porque há uma dificuldade para a confirmação dos testes, uma vez que o mesmo só pode ser dado, por enfermeiros e médicos. Entretanto, são os técnicos de enfermagem que estão desenvolvendo estas atividades.

Segundo Gilmar, isso vem causando uma série de transtornos para os profissionais da saúde, uma vez que não foram deslocados profissionais especificamente para essa atividade. “Ao efetivar a mudança nos pontos de testagem a secretaria de saúde põe em risco os profissionais da saúde e todos que acessam as respectivas unidades, uma vez que os profissionais estão tendo que realizar os testes e dar continuidade aos demais atendimentos, o que pode levar a uma série de contaminações por covid-19”, afirmou (confira no vídeo).

Momentos antes da votação, Gilmar Santos chegou a citar o exemplo dos trabalhos da CPI da Covid-19, no Senado Federal, e adiantou que a comissão já procurou a prefeitura de Petrolina. “A CPI tem procurado cumprir um papel de transparência e, em breve, possivelmente, o prefeito de Petrolina será convocado para apresentar esclarecimentos sobre essas máscaras”, pontuou.

“Quando os senhores rejeitam um requerimento que solicita informações, eu penso que os senhores diminuem e apequenam esse parlamento e fazem um jogo totalmente contrário a transparência dos recursos públicos”, criticou Gilmar ao falar sobre a postura do líder da situação, vereador Ronaldo Silva (DEM), que orientou os colegas a votarem contra a proposição. Confira a votação:

VOTARAM CONTRA
1. Josivaldo Barros-PSC
2. Marquinhos Amorim-REPUBLICANOS
3. Ronaldo Silva-DEM
4. Júnior Gás-AVANTE
5. Zenildo Nunes-MDB
6. Wenderson Batista-DEM
7. Osinaldo Souza-MDB
8. Alex de Jesus-DEM
9. César Durando-DEM
10. Capitão Alencar-PATRIOTA
11. Rodrigo Araújo-REPUBLICANOS
12. Manoel da Acosap-DEM
13. Diogo Hoffmann-PSC

VOTARAM A FAVOR
14. Gilmar Santos-PT
15. Samara da Visão-PSD
16. Marquinhos do N4-PODEMOS
17. Ruy Wanderley-PSC
18. Elismar Gonçalves-PODEMOS

Vereador Gilmar Santos solicita ampliação, manutenção e reforma de cemitérios de Petrolina

Recebemos diversas reclamações sobre o funcionamento destes cemitérios e, em visita aos locais, constatamos uma situação crítica e de total irresponsabilidade da gestão municipal”, afirmou Gilmar Santos

Gilmar Santos solicita melhorias para cemitério Campo da Paz/Assessoria.

Em um requerimento (nº 231/2021) apresentado e aprovado na Casa Plínio Amorim, na manhã desta terça-feira (20), o Vereador Gilmar Santos-PT solicitou mais atenção para os cemitérios de Petrolina-PE. O pedido surgiu após denúncias de abandono e falta de espaço para novas sepulturas. Aprovada por 15 votos, a matéria agora segue para a Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade.

Ao defender a aprovação do requerimento, Gilmar Santos-PT relatou detalhes sobre a situação dos cemitérios Campo das Flores, Campo da Paz e Campo da Esperança. “Recebemos diversas reclamações sobre o funcionamento destes cemitérios e, em visita aos locais, constatamos uma situação crítica e de total irresponsabilidade da gestão municipal”, afirmou o vereador (confira no vídeo):

De acordo com informações coletadas pela equipe do Mandato Coletivo, e confirmadas por servidores públicos que atuam no setor funerário, um dos problemas mais críticos é a falta de espaço para novas sepulturas. Além disso, o baixo quantitativo de funcionários, atrelado às condições de trabalho e a ausência de uma gerência local, têm contribuído para uma situação cada vez mais crítica.

Diante da possibilidade de uma crise no sistema funerário, o Vereador Gilmar Santos chamou atenção do Secretário Fred Machado para a necessidade de novas obras de ampliação para estes cemitérios. 

Gilmar Santos ainda relembrou de um vídeo que circulou nas redes sociais, onde uma jovem relata ter tido dificuldades para sepultar um ente querido no cemitério Campo da Paz, no Bairro João de Deus. Segundo ela, não havia no local  nenhum servidor que pudesse realizar o sepultamento de seu pai. “Essa jovem entrou em desespero, o que representa uma total irresponsabilidade desta gestão. Esta situação acontecendo numa pandemia é ainda mais grave. Milhares de vidas já foram perdidas”, completou Gilmar (confira no vídeo abaixo).


Covid-19: Mandato Coletivo defende inclusão dos profissionais de farmácia no grupo prioritário para vacinação

“Os profissionais que trabalham nas farmácias expõem-se desde o início da pandemia diariamente a um risco elevado de contaminação, tendo em vista a altura de suas atividades”, defendeu Gilmar

Em um requerimento (nº 157/2021) apresentado na sessão desta terça-feira (20), o Vereador Gilmar Santos-PT, solicitou a inclusão de trabalhadores de farmácias no grupo prioritário para a vacinação contra a Covid-19. A solicitação, direcionada à Secretaria de de Saúde de Petrolina, foi aprovada pela maioria dos vereadores da Câmara.

No cenário pelo qual o país atravessa, uma das principais questões que afligem a população brasileira é a vacinação. A população tem acompanhado com muita preocupação processo da vacinação.

“Compreendemos que a gestão municipal tem feito um esforço para garantir da forma mais rápida possível a vacinação da população petrolinense. Entretanto, entendemos que alguns profissionais precisam ser incluídos nos grupos prioritários do plano municipal de vacinação”, disse Gilmar (confira no vídeo).

A exposição dos profissionais no atendimento ao público foi a principal justificativas apresentada pelo parlamentar. “Os profissionais que trabalham nas farmácias expõem-se desde o início da pandemia diariamente a um risco elevado de contaminação, tendo em vista a altura de suas atividades. Além disso, mesmo nos momentos de isolamento mais duro esses profissionais estiveram sempre em atividade e assim continuam, mesmo com novo acirramento do isolamento, tendo em a essencialidade da atuação”, defendeu.