Nota pública – Vereador Gilmar Santos

Em matéria publicada no site gilmarsantos.org e em suas redes sociais, o vereador Gilmar Santos reafirma seu compromisso com professores para que mais profissionais sejam efetivados através de concurso público, com a devida valorização, como previsto tanto na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei Federal 9.394/96) quanto no Plano Municipal de Educação (Lei 2.713/15).

Ao contrário do que acusam alguns professores que foram aprovados no último concurso ou pessoas que não se informaram adequadamente sobre o nosso posicionamento, em nenhum momento o vereador acusou professores que foram convocados para trabalhar em carga-horária de 100 h/a de estarem burlando a lei por terem ampliado para mais 100 h/a. O nosso Mandato está pautado na responsabilidade e compromisso com o interesse público. Ao recebermos denúncias por parte de professores que ficaram na lista de reserva, buscamos nos informar diretamente com a Secretária Municipal (http://gilmarsantos.org/2019/05/08/em-visita-a-secretaria-professor-gilmar-santos-solicita-providencias-sobre-13-demandas-da-educacao/) que nos informou que as vagas não reais (vagas geradas por afastamento de efetivos da sala de aula) seriam ocupadas por contratados. Após a visita, apresentamos um requerimento na Câmara Municipal solicitando informações sobre as vagas, vínculos contratuais e distribuição de professores na rede municipal. O nosso questionamento se deu pela identificação de um grande contingente de professores contratados na rede, o que nos leva a crer que vagas reais que poderiam ser ocupadas por professores aprovados no cadastro de reserva do último concurso, estão sendo também ocupadas por contratados. Desse modo, reivindicamos a convocação desses professores para ocupação de todas as vagas reais existentes na rede e reafirmamos o nosso compromisso com todos os profissionais da educação do nosso município.

Nos colocamos à disposição para qualquer outro esclarecimento.

Vereador prof. Gilmar Santos

Vereador Gilmar Santos é contra suspensão da sessão desta terça-feira,29

Em nota, o vereador Gilmar Santos (PT) se posiciona contrário à decisão do presidente da Câmara de Vereadores de Petrolina, Osório Siqueira (PSB), que suspende a sessão da câmara amanhã, 29,  na casa Plínio Amorim.

Abaixo a nota:

O Mandato Coletivo se posiciona contrário à decisão do presidente da Câmara de Petrolina de cancelar as atividades da câmara legislativa e, em consequência, da sessão desta terça-feira, 29, em virtude da greve dos caminhoneiros.  

O presidente Osório Siqueira (PSB) justifica a dificuldade de locomoção dos vereadores devido à escassez de combustível nos postos de abastecimento, causada pela paralisação que dura 8 dias. Sabemos e vivenciamos estas dificuldades como todos os brasileiros, porém, em um momento de crise política e econômica desta dimensão é necessário esforço da classe política  local  em debater os problemas que afligem a população, suas causas e suas consequências, para contribuirmos na busca por soluções não só imediatas, mas a médio e longo prazo, visto que são projetos e decisões políticas que determinam as escolhas na economia que regula os preços que chegam ao consumidor e revelam o compromisso, ou falta dele, dos políticos com as questões do povo. 

Lembramos que esta quinta, 31 é feriado  de Corpus Christi e, desse modo, a câmara não fará o debate necessário em nenhum dia essa semana, justamente, quando estamos no auge da crise. O posicionamento dos vereadores é de extrema importância para a sociedade nesse momento, pois estes apoiam e são apoiados por políticos do cenário nacional que têm influência direta na atual conjuntura de calamidade e desgoverno que vivemos, a exemplo dos que votaram para colocar Temer e seu projeto neo liberal no poder.  O cancelamento da sessão da Casa Plínio Amorim sinaliza muito negativamente à população nesse momento de crise profunda da nossa democracia e do sistema de garantia de direitos dos trabalhadores e da população em geral.

 

Mandato Coletivo

Vereador Gilmar Santos

Ascom

 

Nota do Partido dos Trabalhadores: não nos rendemos diante da injustiça. Lula é candidato

O dia 24 de janeiro de 2018 marca o início de mais uma jornada do povo brasileiro em defesa da Democracia e do direito inalienável de votar em Lula para presidente da República.

O resultado do julgamento do recurso da defesa de Lula, no TRF-4, com votos claramente combinados dos tres desembargadores, configura uma farsa judicial. Confirma-se o engajamento político-partidário de setores do sistema judicial, orquestrado pela Rede Globo, com o objetivo de tirar Lula do processo eleitoral.

São os mesmos setores que promoveram o golpe do impeachment em 2016, e desde então veem dilapidando o patrimônio nacional, entregando nossas riquezas e abrindo mão da soberania nacional, retirando direitos dos trabalhadores e destruindo os programas sociais que beneficiam o povo.

O plano dos golpistas esbarra na força política de Lula, que brota da alma do povo. Esbarra na consciência democrática da grande maioria da sociedade, que não aceita uma condenação sem crime e sem provas, não aceita a manipulação da justiça com fins de perseguição política.

Não vamos aceitar passivamente que a democracia e a vontade da maioria sejam mais uma vez desrespeitadas.

Vamos lutar em defesa da democracia em todas as instâncias, na Justiça e principalmente nas ruas.

Vamos confirmar a candidatura de Lula na convenção partidária e registrá-la em 15 de agosto, seguindo rigorosamente o que assegura a Legislação eleitoral.

Se pensam que história termina com a decisão de hoje, estão muito enganados, porque não nos rendemos diante da injustiça.

Os partidos de esquerda, os movimentos sociais, os democratas do Brasil, estamos mais unidos do que nunca, fortalecidos pelas jornadas de luta que mobilizaram multidões nos últimos meses.

Hoje é o começo da grande caminhada que, pela vontade do povo, vai levar o companheiro Lula novamente à Presidência da República.

 

Sao Paulo, 24 de janeiro de 2018

Gleisi Hoffmann, Presidenta Nacional do PT