Problemas no agendamento para vacinação em Petrolina leva Vereador Gilmar Santos a acionar MPPE

Na avaliação de Gilmar, o sistema de cadastramento promovido pelo Município é falho e isso tem aumentado a aflição e angústia da população

Na tarde desta quinta-feira (5/8), o Vereador Gilmar Santos-PT protocolou no Ministério Público de Pernambuco-MPPE um pedido de providência para que a Prefeitura de Petrolina garanta acesso democrático aos imunizantes contra a Covid-19.

A vacinação no município está ocorrendo por faixa etária e de forma decrescente. O problema é que a gestão municipal vem oferecendo vacina para novos grupos sem antes ter finalizado a faixa etária anterior. E este é um dos motivos que levaram Gilmar Santos a solicitar a mediação do MPPE.

O Município está chamando pessoas com idades inferiores sem ter esgotado a vacinação das pessoas com idades superiores, afrontando inclusive o plano global de combate a covid-19, que estipula que as pessoas de idades mais avançadas possuem maior propensão para desenvolver formas graves da enfermidade.

Na avaliação de Gilmar, o sistema de cadastramento promovido pelo Município é falho e isso tem aumentado a aflição e angústia da população. “Petrolina está vacinando as pessoas a partir de um cadastramento em site específico para essa finalidade, porém, são inúmeras as queixas em decorrência de não ser possível agendar pelo site. É relatado ainda situação de indivíduos que se cadastraram, mas ao chegarem para se vacinarem não estão com o respectivo nome na lista das pessoas vacinadas”, cita um trecho da peça.

Na petição,o parlamentar lembra que, na última segunda-feira (2/8), em entrevista à rádio local, o prefeito Miguel Coelho, quando questionado sobre falhas no sistema, respondeu que “se não for por agendamento, é fila por baixo do sol”. Declaração insensível para uma parcela significativa da população petrolinenses que ainda não deu início ao processo de imunização. 

Vale destacar que parte considerável da população não possui acesso à internet para uso doméstico. Em alguns casos a rede não oferece qualidade, o que distancia milhares de petrolinenses da finalização do cadastro.

A peça ainda reitera que o Município não demonstra ter o controle populacional das pessoas vacinadas, não confere como está gerindo a vacinação de todas as pessoas de determinada faixa etária. Não está demonstrado, por exemplo, quantos petrolinenses, na faixa dos 40 anos, ainda não tomaram a 1ª dose.

Na petição, o parlamentar pede que, diante de todo o exposto, vem requerer que o Ministério Público recomende o Município a dar publicidade de como está sendo realizado o controle de quantas pessoas de cada faixa etária faltam ser vacinadas. Além disso, que a prefeitura crie outras formas de cadastramento, não ficando restrito ao cadastramento pela internet, tendo em vista que inúmeras pessoas não possuem acesso à internet de qualidade.

A peça ainda sugere que quando for aberta a vacinação de uma faixa etária, àquelas pessoas das faixas etárias superiores sejam dispensadas de realizar o cadastramento, devendo apenas comprovar a idade através de documento.

Gilmar Santos apresenta proposta para melhorar acesso à vacina contra a Covid-19 em Petrolina

Uma das sugestões é sobre a criação de pontos de cadastramento nas Unidades básicas de Saúde, nos CRAS, em Escolas ou no Centro de Convenções

Gilmar Santos defende adoção de novas medidas para imunização em Petrolina/Danilo Souza

Com o objetivo de contribuir para o avanço da vacinação contra a Covid-19, em Petrolina-PE, o Vereador Gilmar Santos-PT, apresentou na manhã desta terça-feira (3), durante a sessão plenária da Casa Plínio Amorim, um requerimento (nº 395) com novas sugestões para a Secretaria Municipal de Saúde.

A primeira é para a criação de pontos de cadastramento nas Unidades básicas de Saúde, nos CRAS, em Escolas ou no Centro de Convenções para a população mais vulnerável, ou seja, quem não possui acesso à internet ou que tenha dificuldades na utilização de equipamentos eletrônicos.

Já a segunda versa sobre a imunização através dos grupos prioritários. Gilmar sugere que, a cada avanço na faixa etária, as pessoas que não conseguiram imunizantes sejam dispensadas do agendamento, e precisem apenas comparecer aos pontos de vacinação com documento de identidade, cartão SUS e comprovante de residência.

“Estamos acompanhando uma série de críticas contra o sistema da prefeitura. Compreendemos que existem grandes dificuldades em relação ao recebimento das doses dos imunizantes disponibilizados, o que prejudica grandemente o andamento do programa de imunização. Porém, mesmo com essas dificuldades, temos visto um avanço significativo nas faixas etárias que podem receber o imunizante”, pontuou (confira no vídeo).

Para Gilmar, a vacinação dos grupos etários é importante, entretanto, segundo ele, em Petrolina, a baixa quantidade de imunizantes não tem sido condizente com a frequência e com os quantitativos recebidos dos imunizantes e isso tem gerado muitas críticas da população como um todo.

O problema do agendamento é ainda mais grave para a parcela da população mais vulnerável que não tem acesso a equipamentos eletrônicos e/ou internet. E essa parcela da população que mais têm apresentado críticas.

No município a idade mínima está na casa dos 30 anos, porém é comum encontrar relatos de pessoas que integram os grupos das demais idades mas que não conseguem realizar o agendamento.

Quanto ao novo sistema de agendamento para a vacinação contra a Covid-19, anunciado pelo Prefeito, e lançado na manhã desta quarta-feira (4), Gilmar Santos solicitou que a equipe de saúde garanta esforços para que o processo de vacinação seja retomado sem falhas e com celeridade.

Volta às Aulas: Vereador Gilmar Santos visita escolas e se reúne com Secretário e educação de Petrolina

Preocupado com os riscos à saúde da comunidade escolar e com a infraestrutura de algumas unidades, o Vereador Gilmar Santos-PT foi conferir de perto o que está sendo feito pela Prefeitura para garantir um retorno seguro e com qualidade de ensino

Petrolina passará a ter aulas presenciais de forma gradual a partir da próxima segunda-feira, dia 2 de agosto. De acordo com a gestão municipal, foram elaborados um cronograma de retorno e um protocolo sanitário, desenvolvido em conjunto com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Petrolina (Sindsemp), Conselho Municipal de Educação, Secretaria Municipal de Saúde e Ministério Público.

Preocupado com os riscos à saúde da comunidade escolar e com a infraestrutura de algumas unidades, o Vereador Gilmar Santos-PT foi conferir de perto o que está sendo feito pela Prefeitura para garantir um retorno seguro e com qualidade de ensino.

A Secretaria Municipal de Educação informou que será realizado um rodízio semanal com no mínimo 50% dos alunos de modo presencial, onde cada grupo assistirá as aulas por uma semana nas unidades escolares, enquanto outra parte será assistida através do ensino remoto. Confira o cronograma:

02/08 – Escolas de Tempo Integral;
09/08 – Turmas do 6º, 7º, 8º e 9º ano;
16/08 – Alunos do 4º, 5º ano e EJA;
23/08 – Turmas do 1º, 2º e 3º ano;
30/08 – Estudantes de 4 e 5 anos da Educação Infantil;
06/07 – Crianças de 0 a 3 anos.

Visita às escolas

As primeiras visitas foram realizadas nas escolas Moisés Barreto dos Santos, na Agrovila Massangano, José Fernandes Coelho, na comunidade do Roçado, e Luiz Rodrigues de Araújo, no bairro Santa Luzia.

“Fomos verificar as ações da gestão municipal para garantir segurança sanitária aos estudantes e trabalhadores/as da educação diante dessa proposta de retorno das aulas presenciais. Continuamos preocupados com esse retorno, especialmente devido aos baixos índices de imunização efetiva de trabalhadores da educação (menos de 10% com as duas doses) e população em geral (menos de 15%). É preciso acelerar essa vacinação para que todos fiquem mais seguros”, pontuou.

Gilmar Santos também questionou a falta de ventilação de algumas salas e demonstrou preocupação com o retorno das aulas. “Observamos que a gestão tem garantido a instalação de pias, álcool em gel, aferidor de temperatura, mas algumas escolas necessitam de mais ventiladores, o que ainda não foi feito”, afirmou o parlamentar.

Reunião com o Secretário de Educação

Na primeira quinzena de julho, Gilmar Santos esteve também na Secretaria de Educação para conversar com o professor Plínio Amorim, responsável pela pasta. Na oportunidade, além de pautar a volta às aulas, o vereador também questionou a gestão sobre novos concursos, livros didáticos, Biblioteca Municipal, Lei Aldir Blanc, além da democratização de espaços públicos para a prática esportiva. Confira os pontos discutidos na reunião:

Imunização da comunidade escolar

O baixo número da população efetivamente imunizada com a segunda dose (menos de 15%), entre essa professores da rede municipal de educação, preocupa Gilmar Santos. “Apesar de compreendermos as necessidades e possibilidades do retorno, consideramos a medida bastante temerária e sem os dados, argumentos e planejamento suficientes para essa fase de testagem. O razoável está no fato da não obrigatoriedade das mães e pais no envio dos seus filhos para as aulas presenciais”, pontuou.

Convocações e concursos

Sobre a convocação dos professores do concurso de 2018, a resposta da Seduc foi de que um número maior de convocados está condicionado à vacância, conforme limitações da Lei complementar 173/2020 – “Lei da Pandemia”. No caso de profissionais de Libras, o secretário afirmou que os professores aprovados não preenchem os pré-requisitos para exercerem a atividade e que, portanto, não será convocado nenhum aprovado. “O que consideramos um erro absurdo e irresponsável da gestão”, avaliou Gilmar Santos.

Livros didáticos e bibliotecas municipais

Sobre a falta de livros para boa parte dos estudantes da rede, o secretário admitiu erro no processo de aquisição dos materiais. Segundo ele, a previsão é de que o prejuízo aos estudantes seja mantido neste ano. A nova aquisição será utilizada apenas no próximo ano.

Ainda falando livros, a biblioteca municipal fez parte da conversa. O vereador questionou a gestão sobre o projeto para melhoria de acervo e atividades no espaço. A resposta do secretário é de que existe uma disposição da gestão para investir no processo de informatização do local com acessos a bibliotecas virtuais.

Aldir Blanc

Na oportunidade, o vereador ainda solicitou que o restante dos recursos da Lei Aldir Blanc fossem distribuídos de forma mais democrática, com participação do segmento de cultura, semelhante à primeira vez.

Prática de esportes

Como alternativa para o fortalecimento da prática de esportes em Petrolina, Gilmar Santos solicitou mediações junto aos presidentes de associações para uma maior democratização das quadras, oportunizando outras modalidades esportivas, além do futebol, tendo como exemplo o bairro Antonio Cassimiro.


“Preocupante”, diz Gilmar Santos sobre volta às aulas após reunião com o secretário Plínio Amorim

Além da volta às aulas o vereador tratou de diversas outras demandas da Educação, Cultura e Esportes

Foto: Robsnayara Barbosa

A Secretaria de Educação de Petrolina anunciou em uma live realizada na quarta-feira, 14, a volta às aulas no município, a partir do próximo dia 02 de agosto. Essa notícia causou inquietação em alguns profissionais da educação, pais e mães de alunos e também do Mandato Coletivo, representado pelo vereador professor Gilmar Santos, PT, que foi procurado por alguns deles preocupados, principalmente, com a segurança sanitária.

Em virtude dessa e de outras demandas da população, o vereador se reuniu na manhã desta quinta-feira, 15, com o Secretário Municipal de Educação Plínio Amorim e iniciou a conversa com o ponto de maior preocupação: o risco de contaminação pelo coronavírus. Gilmar Santos disse que “compreende que é preciso conviver com a pandemia, mas precisamos saber se as variáveis de segurança sanitária e, especialmente, a vacinação, estão garantidas de forma suficiente para essa testagem de retorno”. Já o secretário Plínio respondeu que “nenhum cenário tem garantia, entende que é um risco, que é sério, mas chegou o momento de dar o primeiro passo”.

Gilmar questionou o fato de os professores ainda não terem tomado a segunda dose da vacina e também sobre o baixo número da população efetivamente imunizada com a segunda dose (menos de 15%). Além de diversos outros aspectos de biossegurança e operacionais.  Apesar de compreender as necessidades e possibilidades do retorno, Santos considera a medida bastante preocupante e sem os dados, argumentos e planejamento suficientes para essa fase de experimento. Para ele, o razoável está no fato da não obrigatoriedade das mães e pais no envio dos seus filhos para as aulas presenciais, porém enfatizou a preocupação com os docentes.

O representante do Mandato Coletivo cobrou também do secretário um projeto para melhoria do acervo da Biblioteca Municipal e atividades no espaço. Plínio respondeu, afirmando que existe uma disposição da gestão para investir no processo de informatização do local, com acessos a bibliotecas virtuais.

A distribuição do restante dos recursos da LeI Aldir Blanc também foi pauta da conversa com o secretário e solicitado que a distribuição ocorresse de forma mais democrática, com participação do seguimento de cultura, semelhante a primeira vez.

Foto: Robsnayara Barbosa

Outro ponto a destacar foi a convocação dos professores do concurso de 2018: a resposta foi a de que um número maior de convocados está condicionado a vacância, conforme limitações impostas da Lei complementar 173/2020 – “Lei da Pandemia”.  Segundo o gestor só será possível fazer novas convocações diante de casos de aposentadoria, óbito ou demissão. Quanto aos professores de Libras, o secretário respondeu que os aprovados não preenchem os pré-requisitos para exercerem a atividade. Portanto, não será convocado nenhum aprovado.  Gilmar disse considerar um erro absurdo e irresponsabilidade da gestão e aponta três prejuízos bastante evidentes: “desperdício de recursos públicos para a realização do concurso, desperdício de recursos dos candidatos e o prejuízo maior, a ausência de professores para os estudantes surdos. Vamos acionar o Ministério Público para uma maior investigação.”

Sobre a falta de livros didáticos para boa parte dos estudantes da rede, o secretário admitiu erro no processo de aquisição desses livros. A previsão é de que o prejuízo aos estudantes seja mantido nesse ano. A nova aquisição será utilizada apenas no próximo ano. “É muito estranho que uma grande quantidade de estudantes não tenha adquirido seus livros, quando se tem uma secretaria munida de recursos suficientes para a compra desses materiais. Haveremos de aprofundar essa questão para identificar melhor os erros e as responsabilidades”, afirmou o parlamentar. 

Por fim, atendendo demanda de alguns jovens do bairro Antônio Cassimiro, o vereador solicitou mediações junto aos presidentes de associações para uma maior democratização das quadras, oportunizando outras modalidades esportivas, além do futebol, tendo como exemplo o basquete.

De acordo com a Secretaria Municipal de Educação o retorno à sala de aula será opcional para os alunos, cabendo aos pais ou responsáveis legais, em comum acordo com a escola, a opção pela permanência do estudante em atividades não presenciais. Para a retomada das aulas presenciais, será realizado um rodízio semanal com no mínimo 50% dos alunos de modo presencial, ou seja, cada grupo assistirá as aulas por uma semana nas unidades escolares, enquanto outra parte será assistida através do ensino remoto. A partir do dia 2 de agosto retomam as aulas nas Escolas de Tempo Integral. No dia 9 será a vez das turmas do 6º, 7º, 8º e 9º ano. Já no dia 16, os alunos do 4º, 5º ano e EJA. No dia 23, as turmas do 1º, 2º e 3º ano. Em 30 de agosto os estudantes de 4 e 5 anos da Educação Infantil, e no dia 6 de setembro as crianças de 0 a 3 anos.

Requerimento de Vereador Gilmar Santos sobre transparência na compra e distribuição de máscaras é reprovado por vereadores governistas

A solicitação era sobre o quantitativo, datas de compra e entrega, especificações sobre lotes adquiridos e valores praticados pela gestão municipal na aquisição de máscaras de proteção contra a Covid-19

Reprovação de requerimento nº 328/21. Foto: Danilo Souza Santos/Assessoria

“Quando a gente tem compromisso com o interesse público, a gente quer explicações sobre o dinheiro da nossa população”, foi assim que o Vereador Gilmar Santos (PT), defendeu a aprovação do requerimento 328/21, apreciado nesta terça-feira (15), durante a 20º sessão plenária da Câmara de Petrolina-PE. Entretanto, a matéria foi reprovada por 13 votos, todos de vereadores ligados à gestão Miguel Coelho (MDB).

A proposição surgiu a partir de uma reclamação de profissionais de saúde, que relataram que as máscaras de proteção distribuídas para as unidades de saúde são de “péssima qualidade”.

Em suma, o requerimento de Gilmar pedia informações sobre a aquisição de máscaras no sentido de compreender o quantitativo, datas de compra e entrega, especificações sobre lotes adquiridos e valores praticados pela gestão municipal. 

Além disso, a matéria ainda incluía um questionamento sobre a realização de testes contra Covid-19. É que segundo informações repassadas por profissionais de saúde, as testagens, que antes eram realizadas em locais específicos, passaram a ser feitas em algumas unidades básicas de saúde.

O problema é que a mudança não agradou profissionais da saúde porque há uma dificuldade para a confirmação dos testes, uma vez que o mesmo só pode ser dado, por enfermeiros e médicos. Entretanto, são os técnicos de enfermagem que estão desenvolvendo estas atividades.

Segundo Gilmar, isso vem causando uma série de transtornos para os profissionais da saúde, uma vez que não foram deslocados profissionais especificamente para essa atividade. “Ao efetivar a mudança nos pontos de testagem a secretaria de saúde põe em risco os profissionais da saúde e todos que acessam as respectivas unidades, uma vez que os profissionais estão tendo que realizar os testes e dar continuidade aos demais atendimentos, o que pode levar a uma série de contaminações por covid-19”, afirmou (confira no vídeo).

Momentos antes da votação, Gilmar Santos chegou a citar o exemplo dos trabalhos da CPI da Covid-19, no Senado Federal, e adiantou que a comissão já procurou a prefeitura de Petrolina. “A CPI tem procurado cumprir um papel de transparência e, em breve, possivelmente, o prefeito de Petrolina será convocado para apresentar esclarecimentos sobre essas máscaras”, pontuou.

“Quando os senhores rejeitam um requerimento que solicita informações, eu penso que os senhores diminuem e apequenam esse parlamento e fazem um jogo totalmente contrário a transparência dos recursos públicos”, criticou Gilmar ao falar sobre a postura do líder da situação, vereador Ronaldo Silva (DEM), que orientou os colegas a votarem contra a proposição. Confira a votação:

VOTARAM CONTRA
1. Josivaldo Barros-PSC
2. Marquinhos Amorim-REPUBLICANOS
3. Ronaldo Silva-DEM
4. Júnior Gás-AVANTE
5. Zenildo Nunes-MDB
6. Wenderson Batista-DEM
7. Osinaldo Souza-MDB
8. Alex de Jesus-DEM
9. César Durando-DEM
10. Capitão Alencar-PATRIOTA
11. Rodrigo Araújo-REPUBLICANOS
12. Manoel da Acosap-DEM
13. Diogo Hoffmann-PSC

VOTARAM A FAVOR
14. Gilmar Santos-PT
15. Samara da Visão-PSD
16. Marquinhos do N4-PODEMOS
17. Ruy Wanderley-PSC
18. Elismar Gonçalves-PODEMOS

Opinião: RR Soares e os bastidores do Show da Fé

“Em 2020, ele começou a orientar as/os fiéis e seguidores/as a tomarem água benta pra curar Covid-19. O curioso é que a água consagrada não bastou para o próprio missionário ser curado, ele precisou ser internado. Foi levado para algum leito do SUS? Não. Encontra-se em um hospital de Copacabana, no Rio de Janeiro”

*Por Érica Daiane Costa

RR Sorares/Reprodução Twitter

O missionário RR Soares está internado com Covid-19. Eu não estou comemorando isso. Eu não desejo que ele morra. Ao contrário, desejo que permaneça vivo e use a influência dele sobre o presidente do Brasil e sobre sua legião de fiéis e passe a defender a vacina para toda a população em regime de urgência. No campo do ideal, desejo que ele pare de alienar milhares de brasileiras e brasileiros através de uma igreja que, na prática, faz muita coisa em nome do acúmulo de dinheiro.

Em 2020, ele começou a orientar as/os fiéis e seguidores/as a tomarem água benta pra curar Covid-19. Eu não sou contra ninguém acreditar na força da água benta, eu também tenho minhas crenças e rituais. Mas anunciar a cura de uma doença que não tem cura comprovada deveria ser, no mínimo, um crime. Certo que ele não obriga ninguém a acreditar nos milagres anunciados, mas ele é referência religiosa para milhares de pessoas de boa fé.

RR Soares é um formador de opinião, através da religião e de meios de comunicação fala para a parcela da sociedade que o escuta. É possível que alguém tenha deixado de procurar ajuda médica  acreditando apenas na água benta adquirida colocando o copo ao lado da televisão ou do rádio. Reforço que não duvido da fé de ninguém, desde que esta não seja estimulada por irresponsabilidades que possam custar a vida. O curioso é que a água consagrada não bastou para o próprio missionário ser curado, ele precisou ser internado. Foi levado para algum leito do SUS? Não. Encontra-se em um hospital de Copacabana, no Rio de Janeiro.

Sim, estou dizendo que um senhor de 73 anos se aproveita da fé das pessoas, pois divulga o poder da água e da oração enquanto pede doações para os cofres sagrados da Igreja Internacional da Graça de Deus, como sempre faz. A água abençoada lhe rendeu mais audiência na pandemia e certamente mais dinheiro para sua igreja, que já é um império construído a partir da Teologia da Prosperidade, que fundamenta muitas igrejas neopentecostais.

A comunicação de massa sempre foi uma estratégia central adotada pelas religiões no Brasil. O Romildo Ribeiro Soares já chegou a ter 100 horas semanais de exposição em redes nacionais de Tv abertas. A igreja possui editora, gravadora, produtora de filmes, veículos onlines, canais próprios de rádio, televisão, além de horários pagos em outras emissoras.

Não sei se as famílias que frequentam as Igrejas da Graça sabem, mas o patrimônio do seu fundador no Brasil, o RR, gira em torno de R$ 250 milhões. Há alguns anos, a Forbes, conhecida revista de economia norte americana, divulgou que o missionário é apenas um pouco menos rico que o bilionário Edir Macedo, e de que os milionários Valdomiro Santiago e Silas Malafaia. RR Soares é também conselheiro de Jair Bolsonaro, declarou publicamente apoio à eleição do Messias ainda no período da campanha, influenciando assim muitos fiéis a votarem no capetão do Exército.

O rico avarento

Talvez sem nem imaginar que logo, logo estaria com sua vida por um fio, embora internado em um hospital que sua fortuna pode bancar, este senhor que prega ao vivo o amor, a cura, o bem e que se diz ajudar a população, é líder fundador de uma igreja que reivindicou a posse de um terreno em São Paulo, provocando o despejo de cerca de 200 famílias agora no final de maio. O terreno estava abandonado há muitos anos devido a dívidas de impostos e as famílias ocuparam no final de 2020 para morar. Mesmo com a pandemia, as pessoas, entre estas idosos/as, crianças, deficientes, tiveram que se alojar em casas de parentes e em outras ocupações.

Para se livrar da dívida por sonegação de impostos, o filho de RR Soares, que é deputado federal, foi autor de uma lei que determina que o governo brasileiro perdoe as dívidas das igrejas. Foi isso que levou a Igreja da Graça a expulsar os pobres para usar o terreno. Por que o missionário não foi contra essa violência?

Então, que os milagres “vendidos” durante tantos anos agora sirvam para ele mais do que os “recebidos” que povoam as contas bancárias. Nas redes sociais, pessoas que se julgam de almas puras e dizem não desejar o mal estavam enfurecidas com alguns comentários referentes à doença do RR Soares. Muitos/as acham que falar algo sobre quem é ele nesse momento é ser sem coração. Eu diria que não se trata de coração, mas sim de memória.

___
Érica Daiane Costa é comunicadora, professora e integrante do Coletivo Enxame

Após surto de covid-19, Gilmar Santos questiona medidas preventivas adotadas pela Case de Petrolina

A medida vem após a imprensa local noticiar um surto com pelo menos 18 menores contaminados com a covid-19; a proposição foi aprovada por 15 votos

Gilmar Santos questiona medidas preventivas adotadas pela Case de Petrolina/Internet

Preocupado com a situação de jovens usuários do Centro de Atendimento Socioeducativo (CASE) de Petrolina, o vereador Gilmar Santos (PT) quer informações sobre as ações preventivas por parte da Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco. A preocupação do edil também foi direcionada ao juiz Marcos Bacelar, representantes do Poder Judiciário, para que haja fiscalização no local.

Nesta manhã desta quinta-feira (20), Gilmar apresentou um Requerimento solicitando respostas sobre os cuidados adotados para prevenção da contaminação por covid-19 na unidade. A medida vem após a imprensa local noticiar um surto com pelo menos 18 menores contaminados com a covid-19.

Além das ações preventivas, Gilmar questiona se está havendo testagem periódica dos demais presentes na unidade. O pedido foi analisado e aprovado por 15 votos.

____
Via Assessoria
Com informações de Blog Waldiney Passos

Vereador Gilmar Santos solicita ampliação, manutenção e reforma de cemitérios de Petrolina

Recebemos diversas reclamações sobre o funcionamento destes cemitérios e, em visita aos locais, constatamos uma situação crítica e de total irresponsabilidade da gestão municipal”, afirmou Gilmar Santos

Gilmar Santos solicita melhorias para cemitério Campo da Paz/Assessoria.

Em um requerimento (nº 231/2021) apresentado e aprovado na Casa Plínio Amorim, na manhã desta terça-feira (20), o Vereador Gilmar Santos-PT solicitou mais atenção para os cemitérios de Petrolina-PE. O pedido surgiu após denúncias de abandono e falta de espaço para novas sepulturas. Aprovada por 15 votos, a matéria agora segue para a Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade.

Ao defender a aprovação do requerimento, Gilmar Santos-PT relatou detalhes sobre a situação dos cemitérios Campo das Flores, Campo da Paz e Campo da Esperança. “Recebemos diversas reclamações sobre o funcionamento destes cemitérios e, em visita aos locais, constatamos uma situação crítica e de total irresponsabilidade da gestão municipal”, afirmou o vereador (confira no vídeo):

De acordo com informações coletadas pela equipe do Mandato Coletivo, e confirmadas por servidores públicos que atuam no setor funerário, um dos problemas mais críticos é a falta de espaço para novas sepulturas. Além disso, o baixo quantitativo de funcionários, atrelado às condições de trabalho e a ausência de uma gerência local, têm contribuído para uma situação cada vez mais crítica.

Diante da possibilidade de uma crise no sistema funerário, o Vereador Gilmar Santos chamou atenção do Secretário Fred Machado para a necessidade de novas obras de ampliação para estes cemitérios. 

Gilmar Santos ainda relembrou de um vídeo que circulou nas redes sociais, onde uma jovem relata ter tido dificuldades para sepultar um ente querido no cemitério Campo da Paz, no Bairro João de Deus. Segundo ela, não havia no local  nenhum servidor que pudesse realizar o sepultamento de seu pai. “Essa jovem entrou em desespero, o que representa uma total irresponsabilidade desta gestão. Esta situação acontecendo numa pandemia é ainda mais grave. Milhares de vidas já foram perdidas”, completou Gilmar (confira no vídeo abaixo).


Covid-19: Mandato Coletivo defende inclusão dos profissionais de farmácia no grupo prioritário para vacinação

“Os profissionais que trabalham nas farmácias expõem-se desde o início da pandemia diariamente a um risco elevado de contaminação, tendo em vista a altura de suas atividades”, defendeu Gilmar

Em um requerimento (nº 157/2021) apresentado na sessão desta terça-feira (20), o Vereador Gilmar Santos-PT, solicitou a inclusão de trabalhadores de farmácias no grupo prioritário para a vacinação contra a Covid-19. A solicitação, direcionada à Secretaria de de Saúde de Petrolina, foi aprovada pela maioria dos vereadores da Câmara.

No cenário pelo qual o país atravessa, uma das principais questões que afligem a população brasileira é a vacinação. A população tem acompanhado com muita preocupação processo da vacinação.

“Compreendemos que a gestão municipal tem feito um esforço para garantir da forma mais rápida possível a vacinação da população petrolinense. Entretanto, entendemos que alguns profissionais precisam ser incluídos nos grupos prioritários do plano municipal de vacinação”, disse Gilmar (confira no vídeo).

A exposição dos profissionais no atendimento ao público foi a principal justificativas apresentada pelo parlamentar. “Os profissionais que trabalham nas farmácias expõem-se desde o início da pandemia diariamente a um risco elevado de contaminação, tendo em vista a altura de suas atividades. Além disso, mesmo nos momentos de isolamento mais duro esses profissionais estiveram sempre em atividade e assim continuam, mesmo com novo acirramento do isolamento, tendo em a essencialidade da atuação”, defendeu.

Petrolina está entre as cidades que tem paciente com nova variante do coronavírus

De acordo com a Fiocruz, os pacientes são residentes do Recife (3), Jaboatão dos Guararapes (1) e Petrolina (1). Todos adoeceram entre janeiro e março deste ano

Saiba tudo sobre o novo coronavírus e a Covid-19 | Agência Brasil
Foto: Reteurs/YvesHerman

Cinco amostras biológicas de pernambucanos com Covid-19 tiveram resultados confirmados para a variante P.1, originária do Amazonas. O resultado do sequenciamento genético foi divulgado nesta quinta-feira (25) pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).  O trabalho foi realizado pelo Instituto Aggeu Magalhães, vinculado à Fiocruz no Estado. Os resultados positivos para a variante foram identificados em quatro mulheres e um homem, com idades entre 21 e 70 anos.

De acordo com a Fiocruz, os pacientes são residentes do Recife (3), Jaboatão dos Guararapes (1) e Petrolina (1). Todos adoeceram entre janeiro e março deste ano.

Ao todo, foram submetidas 90 amostras a pedido da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE). No entanto, apenas 45 tiveram condições de finalização do processo.

Das 90, 80 foram encaminhadas ao Aggeu Magalhães pelo Laboratório Central de Saúde Pública de Pernambuco (Lacen-PE). As amostras foram escolhidas de forma aleatória e contemplando todas as regiões do Estado. Outras dez foram de funcionários do próprio instituto.

Todo o trabalho foi feito no laboratório de nível de biossegurança 3 (NB3) e na central de sequenciamento dessa unidade da Fiocruz. O processo para preparo das amostras, extração do RNA e posterior sequenciamento e análise dos dados leva, em média, duas semanas.

“Nosso resultado corrobora que a variante P.1 é a que domina a pandemia em Pernambuco, conforme já havia sido apontado em comunicado técnico do Observatório Covid-19 da Fiocruz. Até o momento, analisamos poucas sequências dos meses de fevereiro e março, porém esse trabalho prossegue e aumentará o volume de informações disponíveis”, destaca o pesquisador da Fiocruz Pernambuco Gabriel Wallau.

Já o secretário estadual de Saúde, André Longo, diz que esse achado científica era esperado pela circulação da P.1 em diversos estados e a constante circulação de pessoas em Pernambuco.

“É importante ter essa confirmação, mas nosso trabalho contra a Covid-19 continua sendo através do uso correto da máscara, da higienização das mãos e do distanciamento e isolamento social, além da vacinação. Só com o seguimento correto de todas as medidas sanitárias conseguiremos superar essa grave crise de saúde pública e evitar ainda mais mortes de entes queridos”, afirmou.

Histórico: Além das amostras com resultados confirmados nesta quinta, o Aggeu Magalhães havia identificado dois casos da P.1 em pacientes de Manaus que vieram receber atendimento hospitalar em Pernambuco.

Na época, foram analisadas 44 amostras biológicas que tinham confirmação para a Covid-19. Desse total, quatro eram de pacientes do Amazonas e duas foram confirmadas com a nova variante.

Outras 36 – todas negativas para a P.1, mas com outras linhagens que circulavam previamente do Brasil – foram escolhidas de forma aleatória e contemplaram pernambucanos de todas as 12 Gerências Regionais de Saúde (Geres), inclusive do arquipélago de Fernando de Noronha.

Em outras quatro, também de pernambucanos, não foi possível realizar o trabalho devido às condições das amostras.

Informações Fiocruz/Folha Pernambuco