Bolsonaro veta projeto que dava preferência às mães no pagamento do auxílio emergencial

Enquanto a pandemia continua crescendo no país, o governo Bolsonaro dificulta acesso aos recursos emergenciais atingindo a população mais vulnerável

Apesar da direção da Caixa Econômica Federal afirmar que as filas terminaram, a semana começou com grandes aglomerações na maioria das cidades do país. Por outro lado, as micro e pequenas empresas continuam enfrentando dificuldades de acesso aos financiamentos bancários. Para completar o quadro negativo, o governo vetou o projeto de lei que previa a prioridade à mulher chefe de família no pagamento do auxílio.

Cerca de 10 milhões de pessoas seguem enfrentando dificuldades operacionais e obrigadas a recorrer às agências. Um total de 5 milhões de pessoas em primeira análise e mais 4,9 milhões em “reanálise” seguem sem receber nenhum parcela do auxílio emergencial. De acordo a Caixa, 55,9 milhões de pessoas receberam a primeira parcela do auxílio emergencial, totalizando R$ 39,4 bilhões. Outras 37,5 milhões, sendo 7,1 milhões na segunda-feira, também já receberam a segunda parcela.

As dificuldades impostas pelo governo também atingem as micro e pequenas empresas, o que resulta no crescimento do desemprego no país. Pelo terceiro mês, o crédito para as empresas caiu 2,4%, apesar das medidas do Banco Central e do governo para destravar crédito para pessoas jurídicas. De acordo com as informações oficiais, os bancos emprestaram R$ 322 bilhões em junho, significando um aumento de 2,5% em relação a maio, percentual puxado por empréstimos tomados pelas famílias.

Veto machista

Em meio ao crescimento da pandemia e da necessidade de maior apoio à população, Bolsonaro criou mais dificuldades para os brasileiros. Desta vez, vetou integralmente projeto de lei que priorizaria a mulher como provedora para receber o auxílio emergencial destinado à família monoparental. Pela proposta vetada, o valor poderia ser recebido pelo provedor de família monoparental independentemente do sexo. No caso de informações conflitantes nos cadastros do genitor e da genitora, a mulher teria prioridade.

A decisão mantém o comportamento do atual governo pautado por vetos sistemáticos aos direitos das minorais. “Esse veto prova que Bolsonaro é machista, na medida em que veta um projeto que impedia pais que não cuidam de seus filhos de se apoderarem do dinheiro que deveria ir para as mães que criam seus filhos sozinhas, e que agora, neste momento de pandemia, dependem do auxílio emergencial para sobreviver”, advertiu o líder da bancada do PT na Câmara dos DeputadosEnio Verri (PR).

“Vamos trabalhar no Congresso Nacional para derrubar esse veto de Bolsonaro e fazer com que as mães solteiras de todo o país possam se beneficiar, durante a pandemia, com a preferência do pagamento do auxílio emergencial”, advertiu o senador Humberto Costa (PT-PE). Para a deputada  Maria do Rosário (PT-RS), o veto de Bolsonaro ao projeto desmascara o discurso do governo em defesa das famílias brasileiras.

Segundo dados do IBGE, a maioria dos lares uniparentais (famílias formadas por pelo menos um filho menor e com apenas um dos pais – pai ou mãe) no Brasil tem como responsáveis mulheres. Ainda, mais de 80% das crianças no Brasil têm como primeiro responsável uma mulher, e 5,5 milhões de crianças não têm sequer o nome do pai no registro de nascimento.

Redação com PT na Câmara e Agência Senado


Vereador Gilmar Santos (PT) chama atenção da gestão municipal sobre a demora das rotas de ônibus em Petrolina

De acordo com o parlamentar, algumas rotas estão com intervalos superiores há 2 horas de um transporte para o outro, o que tem exposto os usuários a vários riscos de contaminação por COVID-19, principalmente pelos longos períodos de espera nas ruas, ou ainda, pela grande quantidade de usuários que se concentram para utilizar o mesmo veículo

Atendendo às demandas da população, o vereador Gilmar Santos (PT) apresentou na sessão extraordinária desta terça (28), a indicação nº 703/2020 onde solicita ao Prefeito Miguel Coelho e ao Diretor-Presidente da AMMPLA, Franklin Alves, para que seja definido junto às empresas de ônibus do município menores intervalos entre as rotas do transporte coletivo por quanto durar a necessidade do distanciamento social.

De acordo com Gilmar, foram levadas ao seu gabinete e às rádios locais inúmeras denúncias de que as pessoas que precisam do transporte público para trabalhar nesse período de isolamento, tem enfrentando grandes dificuldades para se locomover, em especial no que diz respeito ao intervalo entre as viagens, pois, algumas rotas estão com intervalos superiores há 2 horas de um transporte para o outro, o que tem exposto os usuários a vários riscos de contaminação por COVID-19, principalmente pelos longos períodos de espera nas ruas, ou ainda, pela grande quantidade de usuários que se concentram para utilizar o mesmo veículo.

“Diminuir os intervalos e aumentar a quantidade de veículos precisa ser uma providência urgente por parte da gestão municipal, e é o que estamos solicitando. Nossa população, principalmente, nas periferias não pode ser mais sacrificada do que já vem sendo com essa crise da pandemia. Transporte público de qualidade é um direito. Vamos exigir que esse direito seja respeitado para a nossa população”, afirmou o parlamentar.

Grupo Raros de Petrolina realiza Live Solidária neste sábado (11)

A live contará com a participação de vários artistas regionais e tem como objetivo arrecadar doações que serão destinadas às famílias do grupo que estão precisando de assistência em razão da Pandemia da Covid-19

O Grupo “Raros”, formado por familiares de crianças com síndromes raras, com apoio do Mandato Coletivo, realizará no próximo sábado (11) às 16h, uma Live Solidária para arrecadar doações para as famílias do grupo que estão precisando de assistência em razão da Pandemia da Covid-19.

A Live, que será transmitida nas redes sociais do grupo (Facebook) e do Mandato Coletivo (Facebook, Instagram e Youtube), conta com a participação de vários artistas da região, como Flávio Leandro, Del Feliz, Ivan Greg, Nega Dell e Veva Show, Yago Santana, Neudo Oliveira, Felipe Lima, Corrinha do Acordeon, Elenildo do Acordeon, e a cordelista Graciele Castro.

Através de vídeos publicados nas redes sociais, mães e artistas convidam para a Live e pedem que as pessoas colaborem com doações.

“O Grupo Raros tem por finalidade apoiar e desenvolver ações para defesa, elevação e manutenção  da qualidade de vida de famílias de pessoas com síndromes e doenças raras, então essa live solidária organizada pelo grupo e pelo mandato coletivo tem grande importância, assim como as doações, pois nos permite estar ajudando essas famílias que estão realmente precisando do nosso apoio. Nós somos cerca de 200 famílias, mas dentro desse grupo nós cerca de 40 estão precisando da nossa ajuda. Precisando de alimentos, fraldas, suplementos e medicações que são caros e que não são fornecidas pelo estado e nem pelo município e com o isolamento social ficou ainda mais difícil recorrer à justiça para conseguir esses medicamentos. Por isso a importância da realização dessa live”, explica Patrícia Bonfim, coordenadora do Grupo Raros e mãe de uma criança com síndrome rara. 

Para facilitar as doações, foi criado um link no site Benfeitoria onde cada pessoa pode contribuir através do cartão de crédito. Uma outra possibilidade é a transferência bancária para a conta de um dos integrantes do Raros.

Dados da conta:

Caixa Econômica

AG: 0812

OP: 013

C. Poupança: 69176-0

Pedro Cauã Santos Souza

CPF: 113.594.964-67

Além dessas opções haverá ainda a possibilidade de contribuir durante a transmissão live por meio de um QR Code que ficará disponível na tela. 

Lembrando que quem não puder fazer doação em dinheiro e quiser contribuir de outra forma com suplementos, fraldas, cestas básicas, produtos de higiene entre outros, basta entrar em contato através do número (87) 9 8832-8842.

Sobre o grupo:

O Grupo Raros Petrolina, nasceu 01 de julho de 2016, do sonho de duas mães de crianças com síndromes e doenças raras que resolveram se juntar e criar um grupo de whatsapp com o intuito de realizar trocas de experiência. Mais com o tempo foi se observando as dificuldades e necessidades, a parti dai foi identificando mais famílias no vale do são Francisco  e grupo foi crescendo e virou um instrumento de apoio e luta para acesso as politicas publicas existentes. Hoje atendemos cercas de 200 famílias do Vale do São Francisco.

No dia 30 de janeiro de 2020 foi realizado assembleia de constituição transformando em SOCIEDADE INTEGRADA DE PESSOAS COM SINDROMES E DOENCAS RARAS, FAMILIAS E AMIGOS DO VALE DO SÃO FRANCISCO ou pela forma abreviada designada pela sigla GRUPO RAROS – uma instituição civil sem fins lucrativos, filantrópica e não governamental.

Onde obter mais informações?

Grupo Raros Facebook: https://www.facebook.com/rarosdepetro/
Grupo Raros Instagram: https://www.instagram.com/gruporarospetrolina/

Link para doação: https://benfeitoria.com/ajude-o-grupo-raros-gy3

Curta, compartilhe, DOE! 

Vereador Gilmar Santos solicita informações sobre o funcionamento do abrigo para pessoas em situação de rua

Usuários falam em contradições, falhas e comportamentos inadequados de servidores; “Tomaremos as devidas providências sobre esse caso específico”, disse o parlamentar.

Gilmar Santos (PT). Pres. da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania. Foto: Assessoria

Em visita recente ao abrigo noturno montado no Ginásio do Flamengo, o Vereador Professor Gilmar Santos, presidente da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania, conversou com os usuários do espaço para conhecer de perto a realidade e as condições do funcionamento. O local foi aberto desde o início de abril, mas a gestão municipal ainda não apresentou relatórios sobre os recursos e as atividades que estão sendo realizadas.

“Fomos bem acolhidos pelos servidores e usuários, majoritariamente homens. Na escuta, identificamos disposição da gestão pelo acolhimento dessas pessoas, porém muitas contradições, falhas e até comportamentos de servidores que violam a dignidade de gente já tão fragilizada por consequência de crises sociais, familiares e/ou existenciais”, relatou o parlamentar.

Diante dos problemas apresentados pelos usuários, Gilmar Santos apresentou um requerimento na sessão de hoje (30), o requerimento (nº168/2020), onde solicita informações da gestão Miguel Coelho, através da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, que preste uma série de informações referente às atividades de assistência à população em situação de rua no município. O requerimento já havia sido feito de forma verbal, na sessão extraordinária da sessão do último dia (23), mas por decisão do Presidente Osório Siqueira (MDB), não entrou na pauta.

Gilmar Santos (PT). Pres. da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania. Foto: Assessoria

A preocupação do parlamentar é com o agravamento das desigualdades sociais agravadas pela crise sanitária da Covid-19. “Diante desse novo cenário, proporcionado pela pandemia, mais do que nunca, devemos elevar a nossa solidariedade com as populações mais empobrecidas e em situação de vulnerabilidade. Tomaremos as devidas providências sobre esse caso específico.” finalizou.. Confira os detalhes da solicitação:

a) Lista com quantitativo diário e geral de pessoas em situação de rua que frequentaram o abrigamento noturno do Ginásio do Flamengo entre os dias  02 de Abril e 22 de Maio;

b) Se tem conhecimento do comportamento de guardas municipais que estão acordando os usuários do abrigamento entre 4 e 5 da manhã, quando o horário deveria ser às 6h, e quais providências estão sendo tomadas.

c) Explicações sobre porque está impedindo pessoas em situação de rua que não frequentam o abrigo de receberem café, almoço e jantar no restaurante popular, quando, constitucionalmente, não há obrigatoriedade dessas pessoas frequentarem o abrigamento.

d) Lista de materiais de higiene, valores, fonte, quantitativo disponibilizado para a assistência da população de rua, período de entrega; 

e) Lista dos servidores que atendiam a população em situação de rua até o dia 15 de março. 

f) Lista dos servidores que atendem atualmente a população em situação de rua;

g) Lista dos servidores afastados e motivos;

h) Lista de materiais de EPI disponibilizados para os servidores que dão assistência a à população em situação de rua.

i) Programação do cardápio: do café, almoço e jantar, entre os dias 02 de Abril a 22 de Maio.

j) Apresentar programação educativa, cultural, de lazer, desenvolvida pela secretaria junto a essa população que fica no abrigo noturno.

Compesa instala pias de higienização em Petrolina após sugestão do Vereador Gilmar Santos

“Propomos uma medida simples, mas que pode prevenir a nossa população e salvar vidas; a ação merece o nosso reconhecimento e esperamos que mais pias sejam instaladas em outros pontos”, destacou o parlamentar

Centro de Petrolina-PE – Foto reprodução /GRTV2º Edição

Em atendimento à um ofício do Vereador Gilmar Santos (PT), e seguindo o plano emergencial adotado pelo Governo de Pernambuco no combate à pandemia do coronavírus, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) deu início à instalação de pias de higienização em alguns bairros de Petrolina-PE. Segundo a Compesa, as pias estão sendo produzidas com mão de obra própria e com materiais reaproveitados das unidades da estatal.

Por enquanto, segundo informações divulgadas pela Compesa, são dois pontos de higienização no centro da cidade, um ao lado da agência da Caixa Econômica Federal e outro na Praça do Bambuzinho. Além do bairro José e Maria que também recebeu o equipamento de desinfectação.

Que lavar as mãos com água e sabão é uma das maneiras de se prevenir do novo Coronavírus, muita gente sabe. O problema é quando não existem políticas públicas que garantam isto, e manter-se protegido torna-se um desafio. Em Petrolina, por exemplo, durante todo o isolamento social, decretado pelo município e pelo governo do estado, não havia nenhum ponto de higienização.

Praça do Bambuzinho, Centro de Petrolina-PE- Foto reprodução /GRTV2º Edição

Em abril, o Vereador Gilmar Santos propôs a instalação de pias nas proximidades das agências da Caixa Econômica Federal, no ponto de atendimento montado no Centro de Convenções, no Mercado Turístico e demais locais de aglomeração, como pontos de ônibus e mercados públicos. Mas a prefeitura não respondeu à solicitação.

“Propomos uma medida simples, mas que pode prevenir a nossa população de se contaminar com covid-19 ou qualquer outra doença, e nesse sentido podemos salvar vidas”, destacou Gilmar Santos.

De acordo com a Compesa, além das pias equipadas com torneiras automáticas, também estarão disponíveis produtos essenciais para a higiene das mãos, como sabão e papel toalha.

O parlamentar reconheceu o empenho da Compesa e defendeu que mais pias de higienização sejam instaladas em Petrolina. “A ação da COMPESA merece o nosso reconhecimento e esperamos que mais pias sejam instaladas em outros pontos, já que com essa reabertura do comércio as medidas de higiene e sanitárias devem ser ainda mais elevadas”, disse.

Proposta de 60 mil reais em Editais Culturais é apresentada pelo Vereador Gilmar Santos à Câmara Municipal

Caso os recursos sejam viabilizados, os editais deverão ser elaborados com participação de representantes de instituições ou grupos que desenvolvam trabalhos com o segmento artístico-cultural; a proposta deve ser apreciada na sessão desta quinta-feira (04)

Foto: Camila Rodrigues

A cultura é, muitas vezes, a saída escolhida para fugir das incertezas causadas pela pandemia do novo coronavírus. Diante disso, se faz necessário discutir como a arte, que respira junto com o povo, vai continuar acontecendo. Partindo deste entendimento, o Vereador Gilmar Santos (PT) apresentou um requerimento à Câmara Municipal de Petrolina-PE, sugerindo a criação de uma comissão para estudar a possibilidade de uma redução de gastos e de revisões contratuais, para a realização de editais de cultura. Se for acatado pelos parlamentares, o valor total pode ultrapassar 60 mil reais.

Protocolado na sexta (26), o requerimento explana de forma detalhada como a política pública poderá ser implementada pela Casa Plínio Amorim. Segundo o documento, a partir da redução de gastos e revisões contratuais, a Câmara poderá destinar até 50 mil reais de recursos próprios, e os outros R$ 11.500, se somadas às contribuições individuais, no valor de R$ 500, de cada um/a dos 23 vereadores e vereadoras da cidade.

A expectativa era de que o requerimento estivesse na pauta da Sessão Ordinária de hoje (02), transmitida ao vivo pelo Canal da Câmara no YouTube, porém isso não aconteceu. “Fiquei sem entender porque esse requerimento não foi para a pauta. E eu espero que ele esteja em pauta na próxima sessão”, disse o parlamentar na sua fala inicial, antes de apresentar o requerimento de forma oral.

Durante a sessão, em resposta a Gilmar Santos, o presidente Osório Siqueira (MDB), disse já havia encaminhado a proposta ao setor jurídico da casa, mas antecipou que ele pode não ser apreciado. “Este requerimento não vai entrar em pauta, porque é prerrogativa de cada vereador fazer essa doação. Quem quiser dar, que dê!”, disse o presidente. E concluiu a fala justificando que a redução de gastos só seria possível através da criação de várias comissões, e que isso só se daria a partir de um Projeto de Lei (PL). “Talvez seja possível fazer um Projeto de Lei, e aí vai para tramitação. Fica a critério das comissões e também dos vereadores. Porque a Câmara não tem legalidade para doar a uma entidade”, concluiu.

“Primeiro a gente forma a comissão e depois faz o debate”, insistiu Gilmar Santos, sob a narrativa de que o requerimento é uma indicação para a criação das comissões que poderão dar viabilidade à proposta.

Diante da postura do Presidente da Câmara, Gilmar deu entrada em um mandado de segurança, a fim de que o requerimento seja incluído na pauta da próxima sessão ordinária, marcada para esta quinta-feira (04).

“É prerrogativa de qualquer vereador apresentar proposta para ser avaliada pelos seus pares. Se a proposta será aprovada ou reprovada, isso cabe ao Plenário. Essa posição do Presidente é arbitrária, gera desconfianças sobre o que está por trás da sua atitude. E mais, é uma forma dele, em particular, dar as costas para os artistas locais, que tanto necessitam de apoio, auxílio, para continuarem desenvolvendo seus trabalhos. Por ser uma afronta aos nossos direitos constitucionais, denunciaremos a atitude do Sr. Osório Siqueira à justiça e esperamos ter o requerimento em pauta na próxima sessão, para aprovação ou reprovação dos demais vereadores”, afirmou Gilmar.

Entenda a proposta

Segundo a proposta, diante das dificuldades do segmento de cultura devido a crise, os recursos financeiros deverão ser utilizados em editais ou chamadas públicas voltadas para auxiliar artistas locais.

Gilmar Santos sugere que a comissão seja formada por vereadores da oposição e da situação, além de membros das Comissões de Educação, Cultura e Juventude, e Finanças. “Penso que esta é uma forma da Câmara Municipal se solidarizar com estes artistas, estender as mãos e gerar estes recursos, já que não existe nenhuma política pública local que lhes garantam uma assistência diante desta crise tão perversa”, reiterou.

Caso os recursos sejam viabilizados, os editais deverão ser elaborados com participação de representantes de instituições ou grupos que desenvolvam trabalhos com o segmento artístico-cultural, a exemplo do SESC-Petrolina, do Colegiado de Artes Visuais da UNIVASF, dos Pontos de Cultura, das Associações Culturais, ou Fóruns representativos, com coordenação da Comissão de Educação, Cultura e Juventude.

As apresentações artísticas, que durante a pandemia, poderão ser apresentadas pela internet, ou após o período de isolamento social, devem contemplar as mais diversas linguagens: música, teatro, dança, cinema, artesanato, poesia.

Os conteúdos das apresentações deverão versar sobre cuidados com a saúde, direitos humanos (prevenção de violência contra a mulher, criança, idosos, população negra, pessoas com deficiência, população carcerária, LGBTI+) e ações de solidariedade.

Gilmar Santos se mostra preocupado e durante o período de isolamento já havia proposto algumas alternativas para diminuir os efeitos da crise social agravada pela pandemia do Novo Coronavírus. “Mesmo que haja o início do relaxamento das regras de distanciamento social, as atividades culturais serão uma das últimas atividades que retornarão. E ainda assim, existe a certeza da insegurança da população uma vez que o vírus continuará a circular entre nós”, pontuou.

Estudos mostram que o primeiro segmento a ser afetado com as medidas de distanciamento social – necessário para a diminuição do contágio, foi o da Cultura, e que este também será esse o mais afetado no pós-isolamento.B

Vereador Gilmar Santos denuncia gestão municipal por descumprimento da Lei de acesso à Informação

“Esperávamos maior compromisso do Poder Executivo quanto aos canais de diálogo com o Legislativo para a construção de propostas que auxiliem a nossa população, especialmente os mais vulneráveis”, cita o Vereador em um trecho da denúncia

Foto: Camila Rodrigues

Em resposta à postura negligente da gestão Miguel Coelho em não atender as solicitações enviadas pelo Mandato Coletivo, o Vereador Gilmar Santos (PT) encaminhou na quinta (21), uma denúncia ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE), onde pede a abertura de investigação para apurar a postura de seis secretarias do governo. Baseada na LAI, Lei de Acesso à Informação, a denúncia levou em consideração a ausência de resposta, por parte da administração municipal, à nove ofícios, protocolados entre março a maio deste ano.

A pandemia do novo coronavírus acentuou ainda mais as necessidades da saúde pública e da assistência social no município de Petrolina. Preocupado com o aumento de casos na cidade, em 29 de abril, o Mandato Coletivo sugeriu a instalação de pias de higienização próximo a agências bancárias e locais de aglomeração, mas até o fechamento deste texto, 21 dias depois de encaminhado, a Secretaria de Infraestrutura não havia dado nenhum parecer. Enquanto isso, o número de casos confirmados em Petrolina aumentou consideravelmente. São nove novos casos, somando 179 contaminados e 6 óbitos, segundo o boletim divulgado ontem (21), a Secretaria Municipal de Saúde.

“O comportamento negligente, de precário compromisso com as informações solicitadas são recorrentes, por parte da Gestão, e ocorrem desde o início do nosso mandato”, afirmou o vereador se referindo às indicações e ofícios não respondidos.

Gilmar lamenta que, em um momento tão crítico, a Gestão do “Novo Tempo” continue com os mesmos comportamentos de antes. “Esperávamos maior compromisso do Poder Executivo quanto aos canais de diálogo com o Legislativo para a construção de propostas que auxiliem a nossa população, especialmente os mais vulneráveis, diante de elevados desafios. Nos deparamos, lamentavelmente, com a mesma postura alheia e violadora do interesse público”, cita um trecho da denúncia.

Entre as solicitações estão: a regularização abastecimento de água – N3 e N4 e comunidades diversas das áreas irrigadas e de sequeiro; explicações sobre recursos investidos nas obras em andamento no CMEI Nestor Cavalcanti, localizado na Vila Eduardo; e o processo construção e de entrega de unidades habitacionais do Minha Casa, Minha Vida, para famílias carentes.

Além disso, no mês passado, Gilmar Santos enviou à Secretaria de saúde mais um pedido de informações sobre as ações para o enfrentamento à pandemia no município. O documento solicita cópia do plano de contingência adotado pela pasta, critérios para testagem, quantitativo de insumos e equipamento, entre outras.

Confira abaixo a lista com os ofícios, datas de envio e  para qual secretaria foi encaminhado:

1- Enviado em 24 de março para as Secretarias de Saúde, Educação e Desenvolvimento urbano – Sugestão de propostas para diminuir impactos da pandemia;

2- Enviado em 06 de abril para a Secretaria de Agricultura e CODEVASF – Solicitando a regularização abastecimento de água – N3 e N4, e demais comunidades afetadas;

3- Enviado em 14 de abril para as Secretarias de educação e de Infraestrutura – Solicitando de informações sobre a obra em andamento no CMEI Nestor Cavalcanti, localizado na Vila Eduardo;

4- Enviado em 21 de abril para a Secretaria de Habitação – Solicitando informações sobre o Minha Casa, Minha Vida, na tentativo de acompanhar a construção e o processo de entrega de unidades habitacionais para famílias carentes;

5- Enviado em 27 de abril para a Secretaria de Saúde – Solicitando informações sobre as ações para o enfrentamento a pandemia como, por exemplo, o plano de contingência, critérios para testagem, quantitativo de insumos e equipamento, entre outras;

6- Enviado em 29 de abril para a Secretaria de Infraestrutura e Compesa – Solicitando a instalação de pias de higienização em locais que fossem identificados como pontos de aglomerações, a exemplo das agências da Caixa Econômica Federal.

2ª reunião da Bancada de Oposição de Petrolina será realizada nesta quinta (14)

As transmissões ao vivo estão sendo feitas pelo perfil Oficial do grupo, no Facebook; a primeira reunião foi na terça (12) e contou com todos os parlamentares que compõem a bancada;

Agendada para esta quinta (14), a Bancada de Oposição de Petrolina se reúne pela segunda vez a partir das 9 da manhã. A transmissão é feita pela Página Oficial da Bancada de Oposição. O grupo tem a expectativa de dar continuidade às reuniões até que as atividades legislativas sejam restabelecidas.

Diante de quase dois meses de suspensão das atividades da Câmara Municipal de Petrolina-PE, os vereadores decidiram adotar o sistema de videoconferência para retomarem discussões pertinentes para a cidade.

Durante as reuniões, os parlamentares debatem assuntos relevantes que podem nortear a população e a gestão municipal no enfrentamento à crise sanitária e social causada pelo Novo Coronaírus (COVID-19).

As tentativas para a retomada das sessões

Recentemente, no dia 4 de maio, os cinco parlamentares da oposição e 4 da situação enviaram uma solicitação à Mesa Diretora, sugerindo a retomada das sessões por meio de videoconferência, durante o período de isolamento social. Outro ofício, encaminhado pelo Vereador Professor Gilmar (PT), no dia 28 de abril, também sugeriu a sessões de forma virtual.

Apesar da circular divulgada hoje (13), pela presidência da Casa Plínio Amorim, onde pede a participação dos 23 vereadores para a apreciação de dois projetos do executivo, os ofícios do Vereador Gilmar e da Bancada ainda aguardam um parecer da Mesa Diretora.

“O cenário pelo qual passa o país obriga que todas e todos que desempenham funções públicas, utilizem suas atividades da forma mais eficiente possível, no intuito de garantir o bem-estar da população”, destacou Gilmar Santos, em um trecho do documento.

Formada pelos vereadores Professor Gilmar Santos (PT), Cristina Costa (PT), Elismar Gonçalves (PODEMOS), Gabriel Menezes (PSL) e Paulo Valgueiro (PSD), a Bancada de Oposição solicitou à presidência da Câmara a adoção de uma medida que já vem sendo praticada por Casas Legislativas de outros municípios de Pernambuco, como na Câmara de Cabo de Santo Agostinho-PE e do Recife, além de Juazeiro-BA, município vizinho.

Nestes casos, o uso dessas ferramentas tecnológicas têm possibilitado a apreciação e votação de projetos, indicações, requerimentos e medidas de enfrentamento à crise da COVID-19.

Os parlamentares compreendem e entendem a necessidade de obedecer às recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) de distanciamento social para evitar a propagação do Novo Coronavírus, mas apostam na tecnologia como um caminho para dar continuidade ao trabalho do legislativo, de forma a não adiar ainda mais as discussões de pautas importantes para o município.

As sessões ordinárias foram suspensas no dia 16 de março, por meio da Portaria nº 1.600/2020, com sucessivas prorrogações, levando em consideração os Decretos Estaduais e Municipais que estabeleceram medidas temporárias para enfrentamento da emergência em saúde pública decorrente da pandemia do Novo Coronavírus (Covid-19).

Estados do Nordeste lançam aplicativo “Monitora Covid-19”para mapear informações sobre a doença na região

A ideia é localizar pessoas que estão contaminadas antes que elas precisem ser internadas. Assim, é possível tratá-las com antecedência tentando evitar mais ocupação de leitos nos hospitais. Outra tentativa é quebrar o circuito de contaminação.

Foto: Governo do Maranhão

O Comitê Científico de Combate ao Coronavírus do consórcio formado pelos estados do Nordeste criou um sistema para “caçar” o vírus em vez de esperar que suspeitos de contaminação busquem os serviços de saúde. O projeto, impulsionado com o slogan “atacar o Covid-19 onde ele nos ataca” tem como ponto central um aplicativo que permite com que as pessoas descrevam se possuem os sintomas da doença. Os dados são armazenados e médicos prestam atendimento à distância a quem necessite. Quando vários relatos chegam de uma mesma região em determinada cidade, equipes de saúde vão ao local. Além de examinarem e testarem pessoas que possam estar contaminadas, elas procuram por quem teve contato com gente contaminada e possa ter sido infectado.

A ideia é localizar pessoas que estão contaminadas antes que elas precisem ser internadas. Assim, é possível tratá-las com antecedência tentando evitar mais ocupação de leitos nos hospitais. Outra tentativa é quebrar o circuito de contaminação.

“Um software faz a análise de risco e classifica essa pessoa como sem risco, risco muito pequeno, risco médio ou risco muito grande. Esses dados são gerenciados por um outro programa que permite que a gente saiba onde essa pessoa está, a idade, o sexo, é tudo anônimo, a gente não tem informação pessoal. E se essa pessoa recebe um grau médio ou grave, ela recebe o telefonema de um médico”, explicou o médico e cientista brasileiro renomado internacionalmente Miguel Nicolelis. Ele é um dos coordenadores do comitê científico.

Imagem da captura de tela

“O médico faz um exame mais detalhado pelo telefone do histórico dessa pessoa e passa um tratamento caseiro. Ou, se for uma coisa muito séria, já referencia essa pessoa para o centro de saúde mais próximo dela. Ao mesmo tempo, esse dado entra em tempo real na nossa análise e permite que a gente, se tiverem muitos caos nessa vizinhança, nessa cidade, na periferia de alguma cidade grande do Nordeste, direcione médicos, recursos de equipamentos, insumos médicos para ir para essa localidade, isolar essas pessoas e começar a rastrear os contatos dessas pessoas para que a gente vá de encontro ao vírus onde ele nos ataca, nas casas das pessoas, nas comunidades. Então, é um sistema interligado de telecomunicação, análise em tempo real e entrega de serviços médicos pra evitar uma sobrecarga dos serviços médicos terciários”, completou Nicolelis.

Segundo o cientista, o método pode atenuar nos estados do nordeste o problema das subnotificações que atinge todo o país por conta da carência de testes, já que será possível localizar mais suspeitos de contaminação e usar os testes disponíveis de maneira otimizada.

Por enquanto o sistema está disponível de forma completa para Bahia, Sergipe, Maranhão, Piauí e Paraíba, mas será estendido aos outros estados da região. Até a última sexta-feira, o aplicativo tinha 60 mil usuários. Nicolelis está fazendo uma campanha parta atingir 100 mil nesta semana e um milhão de pessoas no total. “Porque são mais de 57 milhões de pessoas no Nordeste. Se tivermos 1 milhão, estimamos que teremos uma boa cobertura estatística no Nordeste”, afirmou o cientista.

Na análise de 8 mil dados iniciais, o coordenador do comitê científico identificou uma concentração de casos no sul da Bahia e comunicou o governo local no último domingo (3). Além do novo sistema, o comitê também usa modelos matemáticos para fazer projeções do que pode ocorrer em cada estado nordestino. Esse método previu, por exemplo, aumento de casos no Maranhão e no Sergipe, com os governos locais sendo avisados.

Nicolelis avalia que nas cidades em que mais de 80% dos leitos de enfermaria e de UTIs estiverem ocupados antes de a curva de contaminação chegar ao pico não sobram muitas opções a não ser o lockdown, adotado por determinação da Justiça do Maranhão em quatro cidades do Estado, incluindo a capital, São Luís. “Estou muito preocupado porque a gente viu a Itália, uma coisa muito chocante. Estou preocupado que a gente passe o número de mortes da Itália nesse período aqui. É muito provável. Não dá pra falar (com exatidão quando isso deve acontecer), mas nas próximas oito semanas, que a gente entra no inverno. Acho que o número de (mortes por Covid-19 no Brasil) pode passar o da Itália. Torço para que não. Os cientistas nunca torcem para estarem errados, mas, nas últimas semanas, eu torço para estar errado. Todos os dias”, declarou.

O cientista justifica sua declaração com o fato de muitas cidades estarem chegando na saturação de seus leitos e pela velocidade da contaminação. “O Brasil estava dobrando o número de casos a cada oito dias na última vez que olhei. Veja, nós passamos de 100 mil casos oficiais, o que é praticamente quase um milhão de casos reais. A subnotificação está na ordem de 10”, disse. Nesse cenário, ele opina que as capitais de Rio de Janeiro e São Paulo provavelmente vão ter que adotar o lockdown como maneira de tentar conter a transmissão do vírus.

Boletim divulgado nesta segunda (4) pela OMS (Organização Mundial da Saúde) apontava a Itália com 28.884 mortes por Covid-19. Já o relatório do Ministério da Saúde distribuído no mesmo dia apontava 7.321 óbitos no Brasil pela doença.

Palmeirense fanático, Nicolelis fez um apelo aos torcedores brasileiros, em especial aos nordestinos, antes de encerrar a entrevista. “Deixa eu até deixar uma mensagem aqui. Estou tentando ver se alavanco as torcidas de futebol do Nordeste, do Brasil para nos ajudar nessa campanha para fazer o pessoal do Nordeste a baixar o aplicativo. Afinal de contas, as torcidas têm impacto tão tremendo na vida de quase todo mundo que se pudessem nos ajudar seria sensacional. Estou tentando alavancar essa campanha nas redes sociais. Sei que o Ceará e o Bahia já estão aderindo”, afirmou o cientista. A ferramenta pode ser baixada por meio deste link.

***
Via Perrone/ColunaUOL
fonte: https://blogdoperrone.blogosfera.uol.com.br/2020/05/cientista-explica-metodo-de-comite-nordestino-para-cacar-novo-coronavirus/

Vereador Gilmar Santos propõe ação conjunta para instalação de pias comunitárias em Petrolina-PE

A proposta orienta que locais de maior aglomeração devem receber os equipamentos de higienização; “A gestão municipal precisa garantir mecanismos que busquem garantir mais segurança sanitária para a população”, defendeu o Gilmar

Buscando aumentar as possibilidades de higiene das pessoas em pontos de aglomeração e diminuir as chances de contaminação pelo novo Coronavírus, o Vereador Prof. Gilmar Santos (PT), encaminhou na terça-feira (29), uma proposta voltada para a instalação de pias higienizadoras em locais públicos de Petrolina-PE. O documento foi enviado à Gerência Regional da Compesa e à Secretaria Municipal de Infraestrutura, Mobilidade e Serviços Públicos do município, e aguarda uma posição dos órgãos.

O Mandato Coletivo propõe os equipamentos de higienização sejam instalados nas proximidades das agências da Caixa Econômica Federal, no ponto de atendimento montado no Centro de Convenções,  e no Mercado Turístico. Além disso, tendo em vista o decreto estadual 48.969 de 23 de abril de 2020, que permitiu o funcionamento de lojas de tecidos e aviamentos, e em outros pontos, o ofício solicita que seja verificado possíveis pontos de aglomeração para a implantação desta ação.

“Temos visto durante as últimas semanas a repetição de uma triste cena: o desespero para garantir o auxílio emergencial tem levado milhares de petrolinenses à Caixa Econômica Federal, o que vem gerando diariamente aglomerações que expõe as pessoas e os coloca em risco eminente de contaminação”, disse o parlamentar em um trecho do documento.

Para Gilmar, a prefeitura não tem como controlar as aglomerações porque ele é consequência das dificuldades de acesso ao aplicativo do ‘Auxilio Emergencial’ e dos problemas e falhas no repasse de informações através dos canais oficiais do Governo Federal. “Entretanto, independente disso, a gestão municipal precisa assegurar mecanismos que busquem garantir mais segurança sanitária para a população”, frisou.

A proposta foi baseada em uma iniciativa da Prefeitura de Juazeiro-BA, e de dezenas de municípios brasileiros, que instaram pias, nos pontos onde tem havido aglomerações em razão da necessidade das pessoas precisarem se deslocar em busca de informações e saques do auxílio emergencial.

Vale ressaltar que na quarta-feira (30), o colega vereador Paulo Valgueiro, líder da bancada de oposição, participou de uma reunião com representantes da Caixa Econômica Federal, com o objetivo de cobrar providências no sentido do cumprimento do afastamento nas filas pela Guarda Civil, bem como a instalação de toldos, banheiros, pias e cadeiras.